7 de julho de 2009

....


Trespassas uma barreira invisivel
Onde o meu espaço se confude e funde em ti
Preciso de compreender um movimento que me transcende
Onde me perco nas linhas marcadas por algo que me guia

Ajo em sintonia com o que sinto...
Entrego a minha existência nas causas em que acredito
Tornaste-te numa crença impossível de extinguir da minha mente
Não consigo conceber a ideia de abdicar da oportunidade única
de entrar num mundo magnífico que sempre imaginei
e que descobri ser real...

O fascínio prende-me na espectativa de querer
O desejo aloja-se no meu sentir mais inocente
O meu cerebro leva-me onde nunca me imaginei estar
Toda a minha vontade é regida pelo meu sentir!

1 comentário:

Martini Bianco disse...

Porque escreves com tao pouca regularidade? Gosto muito dos teus poemas, e exijo inspiração da tua parte para continuares nessa àrdua tarefa de arrancar da alma e escrever aqui.