2 de fevereiro de 2010

Voa!..até mim


Agarra-te ao vento
Procura em seu sussurro
Tudo é movimento
E tu escondes-te no tempo
Sem qualquer palavra
E provocas o silêncio
Mas não corres pelo rio
Nem trazes o vazio
de quem esconde um tormento
Em que nada é lamento!
Voa como o vento
E sonha com ternura
Onde tudo é harmonia
E cala o momento
Para viver a melodia.

1 comentário:

Martini Bianco disse...

Olá Colibri,

Que belos poemas se lê por aqui. Continua assim. Eu nºao costumo falar saudade nas minhas prosas, porque é sempre algo muito doloroso para se escrever, guardo-a nos pensamentos. Já agora também te sugiro um outro blog de poesia que acompanho, talvez conheças mas mesmo assim te envio este link de um dos melhores poetas que conheço, o profeta em http://profeciaeterna.blogspot.com/